sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Desenferrujando

Se você gosta de programar e adora Perl... nah... mesmo que você odeie Perl, pare o que está fazendo e assista já à entrevista do Damian Conway.

São meros 35 minutos em que ele fala do seu PhD em biologia computacional, do sotaque "errado" dos americanos, de linguagens de programação em geral e de Perl 6 especificamente. Eu nunca li ou ouvi uma explicação mais interessante sobre a diferença entre tipagem estática e tipagem dinâmica.

E o final da última resposta merece até uma tentativa de tradução:
...para ser um bom programador você tem que efetivamente programar. E isso é algo que não acontece. Sabe, a gente estuda computação, a gente aprende todas aquelas coisas e fica o tempo todo fazendo exercícios e provas. Daí a gente se forma e começa a freqüentar reuniões, a desenhar modelos, diagramas e todo o resto e você pára de programar. E se você é promovido, então você é literalmente promovido a perder a oportunidade de continuar programando e eu acho que isso é um problema. Se você quer ser um jogador de tênis realmente bom, você vai treinar todos os dias. Se você quer ser um grande lutador de artes marciais você vai pro tatame todo santo dia. Se você quer ser um grande programador, você vai programar todo dia—mesmo que você tenha que usar seu próprio tempo pra isso. Se você está acordado, você é um programador. Se você está acordado às 11 horas da noite, ou às 3 da manhã, você tem que usar parte desse tempo para programar porque assim que você começa a enferrujar você começa a morrer como um programador.